Jornais têm que se adaptar a novos hábitos de leitura

Segue abaixo os principais trechos – traduzidos para português – da entrevista que dei à revista Intercambio Técnico publicada periodicamente pela ATLD (Associación Técnica de Diarios Latinoamericanos).

Intercambio Técnico: Quais são suas previsões para o mercado de jornais?

Rodrigo Schoenacher: Acho que o mercado de jornais ainda tem um espaço grande para crescer nos países da América Latina, em especial naqueles onde há um esforço grande para inclusão de mais pessoas na classe média. A internet vai contribuir bastante para a massificação dos jornais, mas trará um grande desafio para as empresas jornalísticas se adaptarem a essa nova realidade. Os jornais impressos terão seu espaço entre os leitores por muito tempo, mas precisarão se reinventar para se adaptar aos novos hábitos de leitura.

IT: Quais foram os principais destaques da reunião da ATDL realizada no Rio?

RS: Foi a minha primeira participação num encontro promovido pela ATDL. Para mim, o mais importante foi ter tido a oportunidade de conhecer profissionais de outros países e saber um pouco mais sobre os desafios enfrentados em seu mercado e as conquistas alcançadas por suas empresas.

IT: Quais são suas sugestões em relação a investimentos tecnológicos para 2012?

RS: Posso dar como exemplo a experiência que estamos tendo na Infoglobo. No mundo digital, nossa empresa está na etapa final para instalação de um sistema de redação que irá integrar as plataformas digitais com a impressa. Também estamos trabalhando muito no desenvolvimento de produtos em novas plataformas, como é o caso da edição vespertina do O Globo lançada exclusivamente para iPad. Já no mundo impresso, concluímos no início de 2012 a ampliação da capacidade de impressão de páginas coloridas em nossa gráfica, com objetivo de atender ao projeto de redesenho do nosso principal produto, O Globo. Está sendo feito também um grande esforço no sentido de atualizar nossos equipamentos – agora com mais de 10 anos de vida – e nossos sistemas de automação da produção. Esse é um trabalho que vem sendo feito desde 2007, mas que ganhou força em 2011 e vai continuar durante 2012.

IT: O que você acha que a ATDL pode fazer para ajudar no crescimento dessa indústria?

RS: Acredito que a ATDL deve seguir sua proposta original de ser o fórum onde é possível discutir temas técnicos, seja relacionado ao tradicional mundo analógico, seja olhando já para o mundo digital. Uma forma de ampliar esse trabalho é criar parcerias com associações locais de cada país, como a ANJ no Brasil, e com instituições internacionais que tenham objetivos similares, como a Printcity.

IT: O que deve ser feito para que o impresso sobreviva a esse “boom” digital?

RS: Os jornais impressos vão precisar se reinventar mais uma vez. Essa é uma mídia secular que vem sobrevivendo às mais diversas inovações tecnológicas, desde o telégrafo até a internet, passando pela televisão e pelo rádio. Dessa vez não será diferente, os jornais impressos que souberem se adaptar aos novos hábitos de consumo de notícia sairão bem sucedidos desse desafio e estarão prontos para enfrentar as novas tecnologias que ainda nem sabemos que existirão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s