Dicas para quem quer comprar um e-reader

Há pouco mais de um ano atrás eu comprei um leitor digital. Era o Alfa, da Positivo. Foi a minha primeira, e não muito boa, experiência. O que mais me irritava nele era a lentidão do sistema para executar as funcionalidades. Até mesmo passar páginas era demorado.

Acabei ficando um bom tempo sem usá-lo e, depois de muitos meses, fui tentar novamente e acabei descobrindo que o touchscreen não estava funcionando. Tentei de tudo até que acabei por danificar de vez a tela, e agora estou à busca de um novo e-reader.

Pesquisando pela web encontrei muitas dicas interessantes de cuidados a serem tomadas na compra de um leitor digital. A primeira delas tem a ver com a seguinte pergunta: por que comprar um e-reader?

Antes de mais nada, os e-readers são mais baratos do que os tablets, em alguns casos menos da metade do preço. Outra vantagem dos e-readers é que eles permitem uma concentração maior na leitura. Os tablets têm muitas funcionalidades e acabam por tirar sua atenção de vez em quando, quando você recebe um novo e-mail ou um alerta. Se você está interessado em ler livros e artigos, pense bem.

As telas de um e-reader são mais agradáveis de se olhar, pois não emitem luz e podem ser lidos em plena luz do dia. Além disso suas baterias duram muito tempo, pois o leitor digital só gasta energia quando muda de página.

Um comparativo técnico feito pelo Blog do iPad mostra as principais características dos quatro leitores digitais disponíveis no mercado brasileiro. O Gato Sabido, da Cool-Er, e o Alfa, da Positivo, são os mais caros, custando R$ 599,00 e R$ 699,00, respectivamente. Isso é mais que o dobro do Kindle, da Amazon, que custa R$ 299,00, e bem mais caro que o Kobo, vendido pela Livraria Cultura por R$ 399,00.

Eu descartaria o Gato Sabido de cara, pois além de ser um dos mais caros ele não tem acesso WiFi. O Alfa também não tem nenhum diferencial importante, além de ser mais pesado (embora continue sendo muito leve) do que os demais. No meu caso ainda tem um agravante: eu tive um Alfa e não durou nem dois anos.

Chegando na reta final a escolha do e-reader vai ficando mais difícil. O principal problema de se escolher entre o Kindle e o Kobo é que cada um deles não consegue ler o tipo de arquivo que o outro lê. Enquanto o Kobo trabalha com formato ePub, assim como os demais leitores, o Kindle só consegue ler o formato AWZ, proprietário da Amazon e incompatível com outros aparelhos.

O Kindle tem uma vantagem enorme que é a possibilidade de ler o mesmo livro em diversas plataformas, como iPhone, iPad e no próprio computador. E se você parar de ler o livro num lugar e retomar em outro, o Kindle sabe exatamente onde você parou (desde que esteja conectado à web, é claro).

Uma pesquisa feita pelo site Gizmodo mostrou que a Amazon tem o maior acervo de livros e preços bastante competitivos. Mas em relação ao preço, a Cultura registrou preços mais baixos do que a Amazon em alguns casos.

O Kobo ainda traz a vantagem de não te prender a apenas uma livraria, permitindo que você compre livros onde quiser (exceto na Amazon). Esse mesmo estudo feito pelo Gizmodo mostrou, porém, que em muitos casos os livros estavam mais baratos do que qualquer uma de suas versões digitais – incluindo o frete.

Alguns sites que disponibilizam downloads gratuitos legais o fazem para diversos formatos, incluindo aquele da Amazon. Mas como o ePub é o mais difundido, muitas delas podem não ter a versão AWZ disponível, o que pesa contra o Kindle.

É uma escolha difícil, e eu mesmo ainda não me decidi por qual comprar. Estou tentado a comprar o Kobo, pois me permite maior flexibilidade para comprar livros digitais onde quiser, além de poder baixar os gratuitos sem maiores preocupações. Ainda tem o fato de ser possível ler livros da Amazon em outros devices, portanto se não encontrar o livros em outras lojas pode-se lançar mão desse recurso lendo no tablet, por exemplo.

Uma amiga, apaixonada pelo Kindle, me contou que resolve essa questão da compatibilidade de outros textos migrando para um formato de arquivo chamado mobi, usando o aplicativo Calibre. Esse arquivo é aceito pelo Kindle e, apesar de às vezes trazer trechos desconfigurados, consegue quebrar um galho. Ela compra pouco livros pela Amazon e quase todo os que lê são resultados dessa migração de formatos. E olha que ela lê bastante livro.

Acho que consegui juntar todas as dicas para que você consiga decidir qual leitor digital comprar. Agora é só você ponderar os prós e contras e tomar uma decisão. Lembrando que os livros impressos ainda são mais baratos em alguns casos… mas acho que isso vai durar pouco.

Fontes: Gizmodo, Blog do iPad, Catraca Livre.

Um comentário sobre “Dicas para quem quer comprar um e-reader

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s