Mídia digital: um mundo em construção

Imagem: picjumbo.com
Imagem: picjumbo.com

Não há sequer sombra de dúvida em relação ao impacto das novas tecnologias digitais no mundo dos negócios. Quando se trata então do mercado de mídia, em particular jornais e revistas, esse impacto é ainda mais evidente. Todo mundo já leu, viu ou ouviu alguma coisa sobre o fim da mídia impressa e coisas do gênero. Hoje já se sabe que esse fim, se existir, nem está tão próximo assim.

Jornais e revistas ainda tiram muito do seu sustento por meio de suas edições impressas, assim como a televisão ainda é totalmente dependente de publicidade em sua grade de programação. O caminho parece inexorável na direção da digitalização das mídias, seja a migração das revistas para os tablets, seja a migração dos programas de televisão para o video on demand, muito bem representado pelo Netflix, Hulu e alguns outros. Continuar lendo “Mídia digital: um mundo em construção”

Reduzindo custos por meio de certificações de qualidade

Imagem: Reprodução
Imagem: Reprodução

Em agosto de 2014 a ANJ lançou, em parceria com a ABTG, o Selo de Excelência em Gestão voltado para gráficas e distribuição de jornais. Tive a honra de participar diretamente da construção do programa e em outubro de 2014 a revista Tecnologia Gráfica publicou uma entrevista comigo sobre esse assunto.

Transcrevi abaixo um trecho dessa entrevista e ao final coloquei um link para que vocês possam acessar também o conteúdo na íntegra. Continuar lendo “Reduzindo custos por meio de certificações de qualidade”

Jornais brasileiros ganham um aliado de peso

Depois do bem sucedido lançamento da campanha “Jornal. Está em tudo”, desenvolvida por meio da metodologia disruption trazida para o Brasil pela agência Lew’Lara-TBWA, a Associação Brasileira de Jornais (ANJ) ganha mais um aliado de peso no mundo publicitário: Nizan Guanaes, presidente do Grupo ABC.

Segundo o site do Meio&Mensagem, “os trabalhos da Africa Zero para a ANJ devem começar a ser apresentados em 2015. A agência deve criar uma campanha, que será apresentada tanto para o publico leitor como para o trade publicitário”.

Para saber mais, clique aqui.

Jornal britânico apresenta lucro pela primeira vez em 13 anos

Não é novidade para ninguém que os jornais estão passando por um momento delicado no qual estão vendo suas receitas no mundo impresso minguarem sem que estas retornem pela via digital. Porém, essa situação parece estar muito longe de significar o fim das empresas jornalísticas ao redor do mundo. Na verdade alguns jornais que dão prejuízo há anos estão sobrevivendo graças às suas estratégias digitais. Continuar lendo “Jornal britânico apresenta lucro pela primeira vez em 13 anos”

Imprimir ou não imprimir? Eis a questão

Ao longo de um dia é possível que você se depare diversas vezes com a questão sobre se deve ou não imprimir um determinado documento. Ou ainda, se deve comprar uma versão digital ou impressa de um livro, revista ou jornal. Para ajudar nesses momento, o programa Two Sides Brasil foi buscar ferramentas que ajudem nessa tomada de decisão.  Continuar lendo “Imprimir ou não imprimir? Eis a questão”

Comunicação impressa é mais sustentável que a eletrônica

Esse sim é um dos maiores mitos a respeito da mídia digital: o de que ela seria mais ambientalmente amigável do que a mídia impressa. A diferença é que a pegada ambiental da mídia impressa é visível, enquanto que a da digital ainda se esconde na ignorância da sociedade acerca de seus problemas. Continuar lendo “Comunicação impressa é mais sustentável que a eletrônica”

O uso sustentável de energia na produção de papel

Há alguns dias atrás iniciou-se aqui no blog um série de posts sobre alguns fatos relacionados à sustentabilidade da mídia impressa. O primeiro post dessa série, que explicava como funciona o plantio e a colheita de árvores para produção de papel, pode ser lido aqui.

Esse segundo post tratará do uso de energia para produção de papel. O mito que existe atualmente é de que a produção de papel utiliza muita energia não renovável, além de lançar muito carbono na atmosfera. O fato é que a maior parte da energia utilizada na cadeia produtiva do papel é renovável, além de ser uma das menos poluentes. Continuar lendo “O uso sustentável de energia na produção de papel”